Como avaliar a viabilidade dos projetos de Inovação – VPL

Como avaliar a viabilidade dos projetos de Inovação – VPL

No nosso segundo texto para o BLOG sobre como avaliar a viabilidade dos projetos de inovação o assunto vai ser VPL.

Na conjuntura do cenário econômico atual, a assertividade de qual projeto de inovação a organização deve escolher é cada vez mais fundamental. Infelizmente, os recursos estão cada vez mais escassos, fazendo com que os projetos apresentados aos investidores passem a ser mutuamente excludentes, onde a escolha de um implica em abrir mão do outro. Sendo assim, cabe aos administradores selecionarem aqueles que trarão o melhor lucro para os investidores, com base na viabilidade econômica da inovação. Mas como saber se um projeto é economicamente viável e ainda mais pontuar qual seria o mais benéfico para a empresa?

É com base nestes dois problemas que o VPL aparece como uma possível ferramenta. O VPL, Valor Presente Líquido, é uma forma de mensurar o valor presente de uma série de pagamentos que seriam feitos por um investimento, transformando-os em um valor absoluto presente, já com a devida dedução da taxa do custo de capital utilizado. Cabe ressaltar aqui que a palavra investimento remete ao projeto de inovação adotado, que trará resultados para empresa no futuro.

O VPL é estipulado com base no fluxo de caixa dos projetos, exigindo que o responsável tenha conhecimento ou uma estimativa precisa dos fluxos de caixa futuros da empresa.

A fórmula do VPL consiste em: VPL = FC0 + FC1/(1+i)^(j+1) + FC2/(1+i)^(j+2) + … + FCn/(1+i)^(j+n), onde FC0 é o valor do investimento inicial, somado ao fluxo de caixa de todos os anos seguintes nos quais o projeto apresentará retorno, dividido pela relação taxa + 1. A taxa aqui em questão, é a taxa de retorno exigida pela fonte que emprestou o dinheiro. Para entender melhor, sugerimos a leitura do texto a respeito de custo de capital próprio e de terceiros.

Pode parecer confuso em um primeiro momento, mas, felizmente, o Excel já comporta a fórmula, sendo necessário somente o conhecimento do período e dos valores que serão recebidos nestes.

Para calcular o VPL no Excel é preciso utilizar a fórmula =VPL(), onde o primeiro parâmetro é a taxa percentual ou decimal do custo de capital e no segundo parâmetro o intervalo dos fluxos de caixa a partir do período 1; o fluxo de caixa do investimento inicial (período zero) será somado fora da fórmula.

Ao se trazer para o presente os valores dos projetos em debate, torna-se mais simples confrontá-los,  ampliando a chance de acerto no momento da escolha. Ressalta-se desde já, que o VPL não deve ser utilizado de forma isolada, mas sempre mitigado por outras ferramentas financeiras de avaliação.

O VPL poderá apresentar 3 resultados, sendo eles um valor positivo, negativo ou neutro, sendo que cada um deles irá determinar em uma interpretação diferente do resultado.

Caso negativo, o investimento em questão é completamente inócuo, representando um prejuízo à empresa caso seja selecionado. Caso seja neutro, o investimento não trará ganhos, mas também não acarretará em perdas para empresa. Por fim, caso positivo, o projeto apresentará um retorno futuro, devendo se escolher aquele de maior valor.

Em razão da forma como é calculado, o VPL irá tender a ser maior para projetos de durações mais extensas. Isto pode acarretar uma forte distorção da realidade, levando o responsável a incorrer em erro. O ideal é sempre utilizar o VPL junto de outras métricas, e com projetos de durações iguais ou próximas, de modo a reduzir as distorções.

Esta é uma das formas de se decidir qual o melhor projeto para a empresa, contando ainda com uma possibilidade em verificar os possíveis resultados futuros. A Inovação não é necessariamente algo simples, mas pode se tornar cada vez mais e mais palpável com o uso destas métricas financeiras, impulsionando e muito a capacidade de geração de receita das empresas.

 

Postado Por: Rafael Paraguassú

Nenhum comentário

Desculpe, o formulário de comentários está fechado neste momento.

WhatsApp Chat
Enviar